terça-feira, 13 de novembro de 2012

TECNOLOGIA NA SALA DE AULA

Olá!
Hoje quero trazer este assunto para refletirmos juntos. Será que a tecnologia ajuda ou atrapalha na sala de aula? Reparem neste desenho do cartonista Agner:


Gostaria também de lembrar a todos que a escola que atingiu a maior nota no IDEB de 2012 (7,1, bem acima da média nacional que foi 5,0), fica no litoral sul do Espírito Santo e está totalmente desconectada, ou seja, nao faz uso de nenhum tipo de tecnologia digital em suas aulas. Ela investe em "LIVROS" e também numa boa parceria com as famílias e comunidade. Ou seja, a receita é muito simples: professores motivados a ensinar e alunos querendo aprender.
Acredito que isso serve para pensarmos um pouco no que realmente é importante para melhorar a qualidade do ensino.
É claro que a tecnologia é muito útil, pois sem ela este blog e tantas outras coisas nem existiriam, mas desde que seja utilizada com responsabilidade e compromisso, por professores e alunos.

6 comentários:

Tiago M. Franco disse...

Olá,

Obrigada pelo envio do conto Negrinha. Peço desculpa não ter agradecido antes, mas só hoje é que vi o mail. Vou lê-lo este fim-de-semana, para poder ler com atenção. Depois trocamos opiniões.
Relativamente as tecnologias nas escolas sou 100% a favor, pois o futuro passa por aí. Se não as utilizarmos, quando os alunos chegarem ao mercado de trabalho estarão em desvantagem comparativamente aos alunos das escolas que as utilizam. Todos nós conhecemos exemplos de bons alunos que não conseguiram triunfar no mercado de trabalho, o inverso também é verdade. Agora, podemos questionar a forma como são usadas, aí o tema é outro…

deise disse...

Desejo uma boa leitura e se precisar de algo, entre em contato. Agradeço a visita e seu comentário.

Mariana disse...

Hoje em dia, a tecnologia atrapalha tanto a grandes como as crianças...
É muito útil por exemplo para a medicina e oftalmologia em curitiba, mas na parte da vida social, um tem que saber como distribuir os tempos.

deise disse...

Olá Mariana!
Também acredito que precisamos ter moderação em tudo para atingir nossos objetivos. Agradeço sua visita e comentário. Volte sempre!

Tiago M. Franco disse...

Olá Deise,

Acabei de ler o conto.
Sou daqueles que acredito que para se perceber uma obra é preciso saber a altura em que foi publicada e o contexto de então.
Parti do pressuposto que esta obra era recente – um livro com 20 anos é recente – por isso, vi neste conto um género de alegoria, pois acredito que casos destes já devem ser raros, para não dizer nulos. Bom estava enganado.
Qual foi o meu espanto quando descobri que esta obra foi escrita em 1920. Dizem que Monteiro Lobato era racista? Bom, então o que dizer da Expo 40 que se realizou em Lisboa. (aconselho a consulta do link para perceber ao que me estou a referir)

http://sugestaodeleitura.blogspot.pt/2012/08/jose-rodrigues-dos-santos-em-o-anjo.html

Eu vi nesta obra um escritor preocupado com os maus tratos às crianças (a historia do ovo) preocupado com o racismo (“essa indecência de negro igual a branco”), preocupado com a “caridadezinha” de muitos (“Não se pode ser boa nesta vida”), preocupado com uma Igreja que no purgatório tudo é perdoado aos ricos (“com lugar certo na igreja e camarote de luxo reservado no céu”), também destaca a capacidade que os mais oprimidos têm em perdoar. Muito mais podia ser dito sobre está obra, mas já me estou a alargar…

deise disse...

Fico feliz que tenha encontrado tudo isso na obra de Monteiro, ele realmente se preocupava com todas estas questoes e dizer que era racista, realmente é muito injusto. Obrigada por compartilhar comigo e com nossos leitores sua valiosa opiniao. Até breve!